quinta-feira, 23 de abril de 2009

Loucuras da Viagem no Tempo

São vários exemplos que vemos nos filmes e séries sobre a famigerada viagem no tempo. Esse tema de fantasia me foi apresentado pela série De Volta Para o Futuro, com o DeLorean, o relógio da torre e a locomotiva do Velho Oeste, mas existem outros exemplos igualmente famosos, indo desde ao clássico da literatura de H.G.Wells, com os Elois e os Morlocks, até o recente fenômeno da TV Lost, com a sua misteriosa ilha. E é um assunto que sempre faz nossa imaginação voar, quem nunca sonhou em viajar no tempo, para presenciar um acontecimento histórico ou para conhecer o futuro?

E uma das coisas que seria bastante comum seria voltar ao passado para tentar mudar alguma coisa, e opções não faltariam: os mais egoístas arrumariam alguma forma de indicar para o seu "eu" do passado quais os números da loteria ou as respostas da prova do concurso, haveriam os mais altruístas que impediriam algum acidente trágico de acontecer (eu, por exemplo, se pudesse voltar no tempo faria algo para impedir o acidente do Senna), teriam aqueles que usariam a viagem no tempo para sacanear alguém... Enfim, voltar ao passado para alterar o futuro seria interessante, mas teria as suas consequências, que poderiam ser até fatais. Como diria o Dr.Brown, certos momentos no passado, se alterados podem mudar o futuro de uma maneira inesperada. Mas será que seria possível mesmo?

Vamos imaginar um exemplo hollywoodiano: acredito que você conheça o filme De Volta Para o Futuro, e ao voltar para o passado Marty McFly acaba se esbarrando com os seus pais e quase esculhamba o seu presente. Mas imagino se isso aconteceria mesmo, acompanhem meu raciocínio:
  • A mãe de Marty se apaixonou por ele. Com isso, o encontro com o seu pai não aconteceu, e aí eles não se casariam e Marty desapareceria, pois ele nunca teria nascido;
  • Como Marty não nasceu, ele não teria como ser convidado pelo Dr.Brown para ver a máquina do tempo, e assim não voltaria para o ano de 1955;
  • Se Marty não tivesse voltado ao passado, nada mais impediria que os seus pais se conhecessem, se apaixonassem, se casassem e tivessem filhos (ou seja, o rumo natural seria seguido);
  • Se tudo corresse da maneira normal, Marty voltaria a nascer e a existir... Para voltar no tempo e esculhambar tudo, reiniciando o ciclo.
É muito confuso mesmo, até se formos pensar que uma mísera modificação, como simplesmente dar um espirro ou matar um mosquito pode de alguma forma alterar o presente de uma forma incrível, como o Homer Simpson aprendeu no clássico episódio da viagem no tempo com a torradeira...

Uma coisa que penso é que se fosse possível voltar ao tempo e mudar o passado, as consequências poderiam até desmotivar a viagem no tempo. Lá vou eu de novo, mas dessa vez vou tentar usar um enredo um pouco mais original. Vamos imaginar que eu sou um texugo que tem uma máquina do tempo. Por algum motivo, eu ache que o nome "Nescau" é sem graça, e decido voltar ao passado e convencer o criador do achocolatado em pó de nomeá-lo como "Chocolatron"...

Tá certo, admito que Nescau é um assunto que não tem nada a ver, mas a primeira idéia que me veio à cabeça foi essa. E sim, eu tenho a consciência de que "Chocolatron" é um nome ridículo e mais parece o nome de um dos monstros dos Changeman, mas colabore comigo, é só para apresentar a idéia...

Enfim, entro na máquina do tempo hoje, dia 23 de abril, volto ao passado e convenço o criador do Nescau que o nome deve ser Chocolatron, ele gosta da idéia e decide usar esse nome. A partir desse momento, toda e qualquer referência ao nome Nescau ao longo da História é substituída por Chocolatron, até aí nada demais... E isso inclui eu mesmo, por exemplo, qualquer lembrança minha do Nescau desde o dia que nasci até o dia que voltei no tempo seriam reescritas.

Com isso, será que essa viagem ao tempo aconteceria? Afinal de contas, após ter provocado essa mudança, eu teria acordado nesse dia 23 de abril e tomado uma xícara de Chocolatron e tudo estaria bem. O nome Nescau não existiria, e portanto nunca eu teria a idéia de que esse nome era sem-graça, logo não haveria mais a necessidade de viajar no tempo para mudar isso. Mas sem essa viagem ao passado o criador seguiria com o nome Nescau, não surgiria um texugo misterioso recomendando o nome Chocolatron, e tudo voltaria a ser como antes... Loucura, né?

Há quem fale das realidades alternativas, e que o fato do Marty ter impedido seus pais de se casarem geraria uma realidade alternativa onde ele não existia, da mesma forma que o meu retorno criaria uma realidade onde as crianças tomariam Chocolatron no café da manhã. Esse é um artifício muito usado pelos quadrinhos do X-Men, como quando o professor Xavier foi morto no passado, gerando assim a Era do Apocalipse (aliás, as melhores histórias foram dessa época), inclusive dando números para cada realidade. Novamente, uma relação familiar arrebenta com tudo, pois o carequinha é morto pelo seu próprio filho, vindo do presente. Curioso como esse ato faz com que a realidade como conhecemos deixasse de existir e uma nova surgisse.

Mas toda essa interdependência entre as realidades é muito complicada, principalmente quando a existência de uma depende de alguém ou alguma coisa vinda de outra realidade diferente. Para facilitar, vamos chamar essas duas realidades do De Volta Para o Futuro de Realidade 1 (a original) e 2 (aquela onde os pais dele não se casam e ele não existe). Ora, se quem provocou o acontecimento da Realidade 2 foi o Marty que veio do presente da Realidade 1, a Realidade 2 só pode existir se a Realidade 1 existir também. Mas, por outro lado para a Realidade 1 existir (e os pais de Marty se casarem e terem ele como filho), isso faz com que a Realidade 2 deixe de existir!

Ou então isso provocaria o famoso paradoxo de alguém existir em dobro em uma determinada realidade. Voltando ao caso do Nescau, suponha que a minha pessoa que voltou ao tempo permanecesse com toda a consicência da realidade original (onde existiria o Nescau), e com a missão cumprida voltaria para o ano de 2009. Acontece que a alteração da realidade faria com que o meu outro "eu" (este que já nasceu em um mundo com Chocolatron) não tivesse motivos para voltar no tempo, e com isso estaria aqui numa boa nesse 2009 alternativo. Assim, ao voltar para o presente o eu original estaria "desgarrado" de sua realidade e acabaria cruzando com o outro eu. Aí daria aquele paradoxo do Dr.Brown que provocaria o fim do Universo...

É, viagem no tempo é muito mais complicado do que 1.21 gigawatts a 88 milhas por hora! Por isso vejo que realmente voltar ao passado é algo que só existe na fantasia. O único tipo de viagem no tempo que considero plausível seria para o futuro, como acontecia com o Fry do Futurama: ficar congelado por alguns anos e depois despertar em um futuro com mulheres cíclope e robôs bêbados, porém sem poder voltar para sua época original...



Nenhum comentário: