sábado, 30 de maio de 2009

Escolha sua Aventura

Eu tenho o costume de ler alguns livros, embora ultimamente pela correria do dia-a-dia, fico com leituras mais curtas, como as revistas de notícias e uma vez ou outra as Seleções. Mas confesso que quando criança eu lia mais, não apenas as leituras obrigatórias da escola, mas também alguns livros que achava nas estantes aqui de casa. Embora minha imaginação voasse solta com as histórias, uma coisa me frustrava: era a falta de interatividade. Eu ficava me imaginando em tomar decisões melhores que o protagonista, seguir por caminhos diferentes ao longo da história, mas em um livro você fica como espectador apenas, sem nenhuma influência no curso da narrativa. E por essa razão, durante a minha infância me tornei fã da série "Escolha sua Aventura".

Esses pequenos livrinhos, trazidos para o Brasil pela Ediouro, eram na verdade livros-jogos voltados para o público infanto-juvenil, com histórias de leitura fácil e muita imaginação. Com o detalhe de que a história não era linear, em diversos momentos haviam escolhas que o leitor tinha que fazer, indo para uma determinada página que mostrava as consequências de sua decisão. Ao assumir a posição de protagonista, o objetivo era conseguir alcançar um dos objetivos "bons" do livro, como encontrar o tesouro ou fugir da mansão mal-assombrada. Vários títulos foram lançados, e para mim se destacavam esses:
  • Uma Viagem no OVNI 54-40 : bem bizarro, onde você era um passageiro a bordo do Concorde, e após avistar uma nave imensa nave espacial, era misteriosamente transportado para ela. Os aliens (que pareciam ser esferas de energia) queriam capturar pessoas de diversos mundos para levar a uma espécie de zoológico espacial. Aí restava ao sujeito tentar fugir ou seguir viagem para um planeta paradisíaco. Curiosamente, esse final não podia ser conseguido de formas normais, apenas se o leitor tivesse a curiosidade de abrir na página certa. Entre os personagens a bordo da nave, um velho viking, uma chinesinha amigável e um bicho peludo e escroto chamado Bru.
  • A Corrida Sem-Fim : esse era bem legal, nele a história te levava para um rally no Quênia. O original é que haviam duas competições que podiam ser escolhidas, e em cada uma delas era possível escolher um entre dois carros e seus respectivos copilotos: na prova de velocidade, se corria com um Lancia Statos ou com um Saab 900 (cuja copiloto era a russa simpática abaixo); na prova de off-road, ou se corria com um Toyota junto com um negão boa-praça ou com um Land-Rover, junto com um colega do protagonista. Acontecia de tudo nessas corridas, como acidentes com animais e encontros com guerrilheiros. Pena que por trazer praticamente quatro histórias, estas eram curtas. E o livro fazia juz a seu título, pois após terminar cada corrida era possível fazer a outra, e assim por diante, uma verdadeira história sem fim...
  • Fuga Impossível : típica história pós-apocalíptica... Depois de uma guerra civil, os EUA se dividem em três regiões (a democracia boa, a ditadura ruim e os neutros que ficam em cima do muro). Você fazia parte de um grupo de rebeldes, tentando fugir do país inimigo, levando informações para ajudar os aliados a vencer a guerra. O curioso era que você não estava sozinho, tinha o amigo machão, uma mulher que trabalhava para o inimigo e um babaca expert em computadores, que fazia o papel de medroso mas era na verdade um inimigo disfarçado.
  • Patrulha Espacial : um dos meus favoritos! Imagina no futuro, com as viagens espaciais se tornando tão comuns quanto andar de carro hoje. Não tenha dúvidas que alguém teria que manter a ordem, e esse era o papel da Patrulha Espacial, uma espécie de polícia estelar. Você era um desses patrulheiros, pilotando uma mega nave com a ajuda de um computador-robô. Além de combates espaciais, há lutas de lasers com manjados piratas espaciais e muito mais. Certamente uma história bem legal e que diverte. E o mais legal era a armadura de combate, como na imagem da capa abaixo.
Haviam ainda os livros da série "E Agora Você Decide", mas eles tinham uma postura mais infantil e histórias meio bobas, embora houvessem alguns títulos interessantes e curiosos, como o Vingador do Vídeo (onde você era tragado pra dentro de um videogame) e Corrida ao Passado (você voltava no tempo para competir numa corrida com carros antigões). Claro que esses livros não chegavam aos pés da série Aventuras Fantásticas, que vim a conhecer alguns anos mais tarde e que será tema de alguma postagem futura aqui no blog... Mas certamente esses pequenos livrinhos dessa série - que tenho até hoje, apesar de alguns estarem meio amarelados - vão sempre ficar nas minhas boas lembranças.

Nenhum comentário: