sábado, 18 de fevereiro de 2012

Odeio o Carnaval II


E lá vamos nós de novo, mais um Carnaval chega sem pedir licença, acabando com a minha paz e tranquilidade durante quatro dias, nos quais gostaria de dormir sossegado e fazer as minhas coisas. Não adianta, todo ano é a mesma coisa, sou obrigado a passar todo o feriado trancado em casa: viajar nessa época do ano é bem caro, e nem dá para aproveitar a cidade pois o Rio está tomado por milhões de turistas, ocupando todos os espaços. Sério, nessa época a única coisa que dá pra se fazer na rua é sambar num dos muitos blocos que se espalham por todos os cantos. E pra mim, isso é tão insuportável e nojento que nem é programa de índio, mas da tribo inteira.

Não vou ficar aqui relatando os motivos que me levam a odiar o Carnaval. Seguindo a linha "recordar é viver", quem quiser saber pode dar uma olhada nesse post que fiz alguns anos atrás sobre a festa que 99,99% dos brasileiros adoram. Não mudou nada, continuo repudiando os blocos de rua e sua algazarra que atrapalha a tranquilidade daqueles que estão em suas casas; a bebedeira exagerada com uma tropa de pinguços tomando cerveja como se não houvesse amanhã; e a surubada desenfreada, com pessoas parecendo chimpanzés no cio, trepando com qualquer um e qualquer coisa...

Infelizmente, a única coisa que mudou em relação à postagem anterior foi o fato do Flamerda ter enfrentado e vencido o mesmo Resende, que naquele 2009 meteu uma sapecada de 3 a 1 no time dos urubus. Mas foi por pouco, pois os mulambos hoje começaram perdendo para o time do interior e quase ficaram de fora das semifinais. Mas a minha torcida fica para que os bacalhaus metam uma porrada no menguinho...

Enfim, mas se nada mudou, por que estou voltando com esse tema? Bom, nesse ano vou agregar mais um motivo para odiar com todas as minhas forças essa putaria de Carnaval. Tem horas que eu penso que tem alguém lá em cima que gosta de me dar uma sacaneada de vez em quando, me colocando em situações extremamente desagradáveis e asquerosas. Diria até que vergonhosas... Tanto que não sei por que diabos decidi escrever sobre isso... Mas como diria o velho deitado da montanha, "o que é um peido pra quem já tá todo cagado?"... E, como já contei aqui, parece que o Carnaval sempre me reserva más surpresas...

Bom, como disse acima, nessa época eu costumo entrar em modo heremita, me trancando aqui em casa como um sobrevivente se escondendo de um apocalipse zumbi. Janelas fechadas e ar condicionado ligado para sequer permitir que as marchinhas enjoadas venham a me perturbar meu feriado, o qual passo normalmente assistindo filmes, jogando alguns jogos e lendo um bom livro, quando não estou fazendo os afazeres do lar. Mas justamente essas obrigações com a manutenção da casa me levariam a ter que sair na rua... Como eu estava viajando nos últimos dias em uma viagem à serviço, já fazia tempo que eu não tinha ido no mercado, para abastecer minha geladeira e meu armário com provisões, que estavam ficando tão vazios como uma escola nas férias...

Cara, por que falar provisões e não comida, seu idiota? Acho que tive um momento nostalgia de me lembrar daqueles livrinhos de Aventuras Fastásticas...

Enfim, com isso fui obrigado a sair na rua para comprar algumas coisas no mercado, a não ser que eu quisesse passar todo o feriado na base de água e biscoito maizena. Me vesti e fui encarar a rua, que aparentemente parecia tranquila, exceto pelo incessante barulho de músicas de Carnaval vindo de todos os cantos. O que me motivou a levar meu MP3 Player, para proporcionar aos meus ouvidos algo mais agradável de se ouvir do que "mamãe eu quero mamar".

Já peço desculpas, pois vou soltar o verbo em breve...

Pois bem, imagine a cena: estou lá, parado no sinal para atravessar a rua, na minha, escutando uma música legal e olhando a lista de coisas que eu teria que comprar. Quando me dou conta, vem um braço me segurando pela cintura, com uma algazarra doida, e me deparo com uma visão dos infernos parecido com essa merda...


Sim, um baita dum traveco, vestido à caráter, veio me agarrando no meio da rua! Putaquepariu! Vá se danar, pôrra! Veio lá um travecão purpurinado, todo assanhado e certamente cheio de cana, querendo passar a mão na minha bunda! E ele, todo alegre, dizendo coisas do tipo "ai, esse é nervosinho!". Xinguei muito, mandei o cara se fuder, que não tinha nada que mexer comigo... E aí então...


Me aparece outros travecos, ainda mais espalhafatosos do que o outro, vindo por trás de mim. E um deles me chega, me abraçando por trás e me dando um beijo no rosto! ECA!

Pombas, por que essas coisas acontecem comigo? Estava lá no meu canto, só querendo ir no mercado, e sou atacado por um bando de bichonas carnavalescas, cacete! Fiquei muito puto, me liberando do abraço asqueroso do traveco, batendo pra todo lado. Acabou que no tumulto o meu MP3 caiu das minhas mãos e se estabacou na calçada, e meu cotovelo encontrou o peito siliconado de um dos foliões transformistas. Que devia ser na verdade um peito falso, do jeito que ele quase pulou pra fora da roupa indecente.

Começou então a agressão verbal, com os travecos me xingando, que era homofobia e tudo mais. Xinguei de volta, mandando todos eles à merda e tomarem no meio do olho do c* (o que eu percebi depois que para tipos como aqueles, é algo que eles adoram...), que não tinham nada que mexer comigo. As pessoas na rua, olhando lógico, algumas rindo e achando graça do meu infortúnio, mas alguns até criticando as "moçoilas" pela atitude agressiva.

Acabou que os travecos se mandaram, xingando, dizendo que é Carnaval e que eu estava exagerando. Peguei o meu MP3 do chão, que estava funcionando, mas agora havia ganho um puta rachado na tela. Pensei até em ir atrás dos putos e cobrar uma satisfação por terem quebrado meu aparelho, mas sabia que não ia adiantar de nada. Menos mal que é um MP3 Player daqueles genéricos da Casa & Vídeo, não ia valer a pena me aborrecer ainda mais com aqueles viados. Tudo para estragar o meu dia...

Sério, fiquei muito puto dentro das calças com essa situação! Pôrra, já não basta que esses travestis são abusados e exagerados, sem o mínimo de pudor e vergonha ao desfilar sua homossexualidade pelas ruas de maneira indecente e agressiva, agora ficam achando que podem ficar agarrando homens na rua, só porque é Carnaval? Vai se fuder, pombas! Essas criaturas aproveitam que nessa época libera geral para liberar seu lado mais selvagem, achando que podem agir dessa maneira e não serão reprimidos.

Pior que sei lá se eram travecos mesmo, ou se eram aqueles típicos babacas que durante todo o ano ficam aí posando de machos nas praias e academias, e aproveitam o Carnaval para liberar o viado enrustido que há dentro deles, colocando uma peruca loira e um sutiã com enchimento, com a certeza de que ninguém vai duvidar de sua masculinidade nessa época...

E o que me deixa mais injuriado e revoltado é o seguinte: por que tinha que ser um travecalho nojento que veio me agarrar? Por que nunca é uma gatinha (com trocadilho, por favor) como essa que surge do nada querendo me beijar?


Enfim, mais um motivo que me leva a ficar sitiado aqui em casa até a Quarta-Feira de Cinzas... Eu juro, Carnaval que vem vou ver se viajo para algum lugar ermo, longe das marchinhas repetitivas, dos rios de gente enchendo as ruas, do odor insuportável da mistura de cerveja, suor e mijo e principalmente o mais longe possível de travecos abusados.

Cara, não dá... Deixa eu colocar mais umas duas fotinhos da menina simpática fantasiada de gatinha, para assim sair no lucro nessa postagem...

3 comentários:

Alôcka disse...

Acabei de ler todas as três postagens sobre o carnaval e tô rindo aqui!
Esse mp3 tá amaldiçoado, hein?Já aconteceu algo por ele e com ele no Carnaval.
No mais, concordo com vc sobre Carnaval, odeio, tenho pavor, é uma coisa assim, visceral, ehehe!
Com certeza é época de estocar provisões, pegar uma pilha de filmes na locadora, muitos jogos e não sair na rua, pois a rafuagem domina.
Conheço muita gente que se isola nessa data, dou o maior apoio, ehehe!!!

Ronaldo disse...

Pô, não gosto da música de carnaval, mas gosto de ver a mulherada!

Agora, te entendo, tu tem um azar tremendo no carnaval, hein?

Argh disse...

Conversa, tu deve curtir carnaval pra cacete! Só rola mulhezinha!