sábado, 26 de maio de 2012

X-Men - Era do Apocalipse

Nunca escondi que gosto de quadrinhos, sempre é uma boa diversão para distrair a mente e passar o tempo. Por mais que possa parecer condenável, prefiro mais ler uma história em quadrinhos do que ler um livro: são poucas as obras literárias que me agradam, e nos quadrinhos há a questão da imagem, que ajuda a ambientar e passar idéias que o leitor pode a princípio não perceber.

Mas diria que apenas com uma idade quase adulta é que comecei a me interessar por quadrinhos de super-heróis, até essa época minhas revistinhas traziam as histórias do Pato Donald, da Turma da Mônica ou da Luluzinha e Bolinha. Claro, em relação a estes últimos, as versões originais, e não as reedições jovem no estilo japonês que agora estão por aí (sobre as quais já falei aqui), que estão acabando com personagens clássicos... Onde já se viu, Cascão tomando banho e Bolinha magro, pombas?

Enfim, e logo comecei a ler as revistas dos X-Men, que viriam a se tornar minhas favoritas (seguidas de perto pelos fantásticos Watchmen, que viria a conhecer alguns anos mais tarde, graças ao filme). Mas o grande problema era que as histórias já estavam no ar a muito tempo, e eu havia perdido momentos clássicos da longa história dos mutantes. Até que deu para dar uma recuperada depois, após conhecer uma loja que vendia algumas revistas antigas, permitindo a este curioso texugo se deliciar com as famosas tramas da época de ouro dos heróis da Marvel, como a Saga da Fênix e aquele episódio no qual o Wolverine perdia o adamantium.


Sem dúvida imagens bem fortes, é como se o mestre do magnetismo estivesse estuprando o mutante baixinho e peludo. Foi uma trama legal, onde vimos que as garras de Wolverine são ossos mesmo e Xavier fode com a cuca de Magneto, gerando com isso um monstrengo fodão.

Mas na época que comecei a gostar dos X-Men, talvez para a minha sorte, estava começando uma nova trama que viria a mudar drasticamente a história deles. Tratava-se da Era do Apocalipse, contando uma reviravolta absurda na cronologia, imaginando um mundo no qual o carequinha Charles Xavier havia morrido, o vilão Apocalipse conquistava o mundo... e, quem diria... Magneto se tornava o líder dos X-Men! Mudando muitas coisas, alterando a história de alguns personagens, inclusive com uma série de trocas, com heróis clássicos se tornando vilões, e bandidos outrora odiados virando mocinhos...


Foi uma mini-série que durou algumas edições, e que dividiu opiniões. Alguns acharam bizarro demais, lamentando as mudanças, teve gente que odiou e desconsidera completamente a série. E alguns outros, incluindo eu, acharam a Era do Apocalipse muito legal. Achei que deu uma repaginada total nos personagens, com uma história mais empolgante, em uma realidade menos florida e muito mais apocalíptica (com trocadilho, por favor). Tudo isso com uma simples mudança na história...

Não dá para começar a falar da série sem apresentar suas origens. A situação era que um filho de Xavier (comprovando que a pipa do carequinha continua subindo mais, mesmo com as pernas paralisadas) chamado Legião volta no tempo, com a intenção de matar Magneto, assim eliminando de uma vez por todas seu arqui-rival. Apesar do Doutor Brown não ter inventado a máquina do tempo a colocado-a em um DeLorean, alguns X-Men voltam no tempo para impedí-lo. Entre eles, a gatíssima da Psylocke...


Qual o problema? Aposto que 11 entre 10 fãs de X-Men do sexo masculino acham a Psylocke muito sexy! Uma ninja telepata de sotaque britânico e trajes mínimos, irresistível! Continuemos...

Acontece que Legião aparentemente não herdou a inteligência exemplar de seu pai, ou na verdade foi Xavier (que na época andava) que tomou uma atitude nobre, porém estúpida, quando seu filho do futuro estava prestes a matar o rei do magnetismo: ele se jogou na frente, sendo assim morto pelo seu próprio filho! Oh, a infâmia!

Tá certo que toda essa trama começa de maneira tosca, como uma cópia barata do De Volta Para o Futuro. Na trilogia, cansamos de ver acontecimentos que foram alterados no passado e tiveram graves consequências: como quando o Biff de 2015 volta ao passado para entregar o guia de esportes para o Biff de 1955, fazendo assim que o Biff de 1985 se tornasse um milionário, ou quando no primeiro filme Marty atrapalha o encontro de seus pais no passado e quase deixou de existir. Exatamente uma situação similar ocorre...


Afinal, se Xavier morreu, seu filho não existiria mais, assim como os X-Men. Esse mero episódio viria então a fuder com toda a realidade conhecida, restando apenas o negão Bishop, que já era um despirocado no tempo vindo de uma outra linha temporal, sendo o único que permanece da nossa realidade.

Encurtando um pouco a história, sem a existência de Xavier muitas coisas acabam mudando, incluindo aí a ascensão do vilão Apocalipse, seguida de uma verdadeira guerra étnica onde os humanos começam a ser dizimados, com bombas nucleares caindo para todos os lados, destruindo diversas cidades. Apocalipse consegue por exemplo fazer o que Bin Laden jamais esperava, destruindo metade dos EUA e conquistando o mundo, sempre com o seu lema de "o mais forte sobrevive".


Aliás, um comentário rápido sobre o mapinha acima, constantemente mostrado nas revistas para mostrar o que havia acontecido... Veja que um bom pedaço da América do Sul foi totalmente riscado do mapa, incluindo boa parte do Nordeste brasileiro, os três países irrelevantes (Suriname e as Guianas), bem como praticamente toda a Venezuela... Imagino que foi por culpa do Hugo Chávez, que estava xingando o mutante beiçudo de tudo quanto é coisa, dizendo que ele era culpado pelo capitalismo e tudo mais... E aí Apocalipse o sodomizou com uma bomba atômica, fudendo com metade da América Latina.

E também parece que apagou da existência parte da França também, e jogou algumas bombas atômicas no Oriente Médio, que agora é uma zona raioativa. Nada como uma trama fictícia de história em quadrinhos para esculachar latino-americanos, árabes e franceses, não é? Continuemos...

Mas isso não viria a impedir completamente o surgimento dos X-Men. Ao ver o seu melhor amigo sendo morto por um mutante, Magneto sofreu um baque tremendo, afetando toda a sua visão sobre a convivência de humanos e mutantes, e decidindo por seguir um caminho mais nobre, lutando pela justiça e tentando manter vivo o sonho de seu amigo. E assim criou os X-Men.


Tá vendo só? Eu nunca gostei muito do Xavier, sempre o achei babaca e escroto. Tudo bem que sua morte provocou muita merda, mas apenas esse sacrifício foi capaz de corrigir um dos mutantes mais poderosos do planeta. E de quebra viemos a ter aquele que na minha opinião foi o melhor líder dos X-Men. Afinal de contas, um sobrevivente do holocausto nazista, com poderes magnéticos e que vai pra linha de frente é trocentas vezes mais legal que um carequinha de cadeira de rodas telepata que fica sentado na mansão, enquanto seus pupilos enfrentam o perigo. Sem falar que ele tinha toda a pinta de ser pedófilo...

Por que você acha que ele está com aquele lençol ali?

Não vou me alongar muito na história, mas resumindo Magneto e seus X-Men acabam encontrando o velho Bishop, que sabe das causas de todo aquele universo ter surgido, e então começa uma luta para derrotar Apocalipse da maneira mais radical possível: voltando no tempo e impedindo que Xavier fosse morto. No final, eles acabam conseguindo, apesar de haverem diversas baixas, uma porrada de mutantes acaba perecendo durante o combate, sem falar em alguns personagens dessa realidade que acabam sendo mandados para a nossa, a maioria deles vilões, para nosso azar.

Mas, ficamos sabendo algum tempo depois que esse universo paralelo continuou existindo, com algumas histórias contando o depois. Parece que o pessoal não se deu conta da derrapada para uma tangente, como o Doutor Brown nos ensinou em De Volta Para o Futuro, onde mesmo uma realidade alterada tem o seu futuro... Bem, vamos deixar isso de lado, é assunto para um outro post sobre viagem no tempo. Que, curiosamente, eu já havia feito no passado.


"Esses mutantes não sabem nada de trigonometria!"

Voltando, a principal razão que me trouxe para fazer essa postagem é ver como os personagens mudaram radicalmente, como disse foram mudanças bem pesadas em muitos deles. E eu já começo com aquele famoso triângulo amoroso já bem conhecido, entre Wolverine, Jean Grey e Cyclops. Para começar, Scott Summers acaba se tornando vilão, sendo um dos lacaios do Sr. Sinistro, mostrando como apenas Xavier conseguiu levá-lo para um bom caminho. Mas logo vemos que ele tem mesmo um coração honrado, se rebelando contra Apocalipse ao tentar ajudar mutantes a escapar.


Por sua vez, Jean Grey viria a se tornar sim uma X-Men, cortando suas longas madeixas ruivas, onde acabaria conhecendo Wolverine, ou melhor, Arma X. Ela viria a ser capaz de, com sua telepatia, controlar a fera, permitindo que ele vivesse em sociedade. E nosso grande camarada Logan, sem a presença de Cyclops no caminho, pôde enfim brincar de paciente sortudo e enfermeira solitária com a ruivinha. Mas depois de uma situação crítica, onde ele se emputece com Magneto, Arma X e Jean viriam a se tornar renegados, atuando de maneira separada do restante do grupo e ajudando os humanos a combater Apocalipse.


O mais estupidamente fuderoso foi essa situação crítica. Percebeu acima que Summers agora tem um visual mais revoltado, largando aquela pose de engomadinho para ficar cabeludo e com barba por fazer? E o arma X, que houve afinal com a mão dele?

Pois bem, em um dado momento Jean viria a ser capturada por Apocalipse, e Logan foi sozinho para resgatá-la, enquanto Magneto achava que não valia a pena arriscar. Conhecemos bem o grande Wolverine, e ele acabou resgatando-a após abrir caminho na base da porrada, mas não sem antes passar por uma luta épica (que absurdamente é reduzida a um mero quadrinho em toda a história) entre Arma X e Summers. Épica pois cada um deles viria a ficar com uma cicatriz marcante: Logan acabou tendo a sua mão decepada pela rajada ocular de Scott (cadê a pôrra do fator de cura?), mas o canadense não deixou por menos e com suas garras arrancou fora um dos olhos dele. Sensacional!

Essa sem dúvida viria a ser uma das mudanças mais chamativas na história, mas temos outras também, envolvendo mudança de lados. Por exemplo, o inteligente Fera virou bandido, atuando como um cientista cheio de idéias para alterar geneticamente humanos e mutantes, mas ainda mantendo o visual de bicho azul peludo. E ele acaba de certa forma vindo parar em nossa realidade e em um momento chegou a brigar com o Fera normal, mostrando que em X-Men também se cagou para aquelas questões do paradoxo, de você ver a si mesmo. Enfim...

Por outro lado, temos Dentes-de-Sabre como um dos principais X-Men. Aqui ele é bem mais humano e racional, embora ainda tenha seus modos violentos quando enfrenta os bandidos. E de quebra, ele tinha o Wildchild, que mais parecia um cachorro raivoso de estimação, preso por uma corrente.


O interessante era ver como os X-Men traziam alguns personagens menos conhecidos e até mesmo que tiveram vida curta na série original. Por exemplo, o japonês Sunfire, que deixou de ser um metido à besta que só apareceu no início para se tornar um guerreiro mais honrado, buscando vingar seu país destruído e tendo uma participação mais presente na trama... Isso sem falar do visual fodástico dele.


Outra era Dazzler, conhecida aqui como Cristal, e que embora ainda fosse um pouco figurante, pelo menos largou de ser uma mera cantora chata. E ela acaba se pegando (no bom sentido) com Exodus, que na realidade normal era um fanático seguidor de Magneto, e aqui pelo menos é normal, mas ainda puxa o saco do mestre do magnetismo sempre quando tem chance.


E uma personagem que viria a ganhar um grande destaque seria a meiga Blink. Após aparecer por alguns poucos quadros e ter sido morta nas histórias originais, a jovem mutante capaz de criar portais de teletransporte viria a ganhar um grande destaque na série. Depois de ter sido salva por Dentes-de-Sabre, que praticamente a adotou como filha (por isso o monstrengo ficou dócil), ela participa ativamente da história. O público gostou tanto dela que Blink acabou sendo mantida nos quadrinhos dos Exiles, que mostra mutantes desgarrados de várias realidades que lutam juntos. 


Claro, os X-Men viriam a trazer personagens mais manjados, como Tempestade, Banshee, Gambit, Noturno, o Homem de Gelo e Vampira. Todos eles com algumas alterações no seu visual.

Um casal que vale a pena citar, um dos meus preferidos... Colossus, o homem de aço (de verdade) e Lince Negra (um dos nomes que a Kitty Pride, a menina que atravessa paredes) já eram aquele potencial casal na série original, naquele fica e desfica típico de novelas adolescentes. Aqui, eles acabam mesmo assumindo o matrimônio, e chegam a se tornar os "professores" da Generation Next, que seria como os estudantes de mutantes. E eles foram outros que assumiram visuais bem diferentes, principalmente Lince Negra que viria inclusive a usar luvas mecânicas com garras iguais ao do Wolverine, além de terem se tornando bem mais ferozes e violentos.


Falando em família, deve-se destacar que nessa realidade Vampira viria a se tornar esposa de Magneto, e teve um filho com ele... Grande Magneto! Agora, não me pergunte como eles... bem... como "Magneto plantou a sua sementinha no jardim encantado de Vampira". Lembre que ela tem aquele poder de absorver os poderes e as memórias daquele que toca, logo vou imaginar que o pequeno Charles, que recebeu esse nome em homenagem a Xavier, não foi gerado através do método convencional, ou tivemos algum truque mutante na parada...


E no nascimento do garoto? Se formos pensar bem, desde que foi concebido o moleque estava em contato direto com Vampira, o que impedia ela de drenar todas as suas forças? É, estou delirando, vamos deixar de lado os detalhes sobre o parto mutante e seguir adiante.

Não posso deixar de citar também outro membro da família Lensherr, o Mercúrio. Eu já havia falado dele aqui, na realidade normal ele sempre foi hilário, um imenso filho da puta. E na Era do Apocalipse ele já tem uma postura mais normal, mas não por isso menos maneiro. Da mesma forma que Magneto é a minha opinião muito mais digno de ser líder dos mutantes, Mercúrio é bem melhor que o chorão do Cyclops, lutando na linha de frente e inclusive dando uma corça em um dos chefões. E de quebra, ele ainda pegava a Tempestade! De longe um dos meus preferidos da série.


Havia até a sua irmã, a Feiticeira Escarlate... Mas sua presença viria a ser mínima, apenas em uma história de flash-back mostrando a origem dos X-Men dessa realidade alterada. Wanda acaba sendo morta pelo filho de Apocalypse, sendo mais um motivo para deixar Magneto puto e em busca de vingança.


Vingança que ele veio a conseguir um pouco mais tarde, ao usar seus poderes para arrancar toda a pele de Nemesis, filho do beiçola... Mas como vaso ruim não quebra fácil, ele viria a ser resgatado pelos agentes de seu papai, colocando seus restos em uma armadura que mais parecia uma jarra de geléia, tornando-se assim Holocausto, um dos cavaleiros do Apocalipse.

Por falar neles, outros que tinham o posto de cavaleiros (ou seja, puxa-sacos diretos do beiçudo) eram os figurantes Abismo, que lembrava o Esqueleto do He-Man, e Mikhail, um puta homem de pedra que era irmão de Colossus. Além deles, temos o famoso Sinistro, agora com um visual mais macabro, porém sendo o mesmo mestre de genética de nossa realidade.


Um outro mutante que vale a pena ser citado é Nate Grey, que viria a receber o "original" codinome de X-Man, e que tem uma certa ligação com o Sinistro ali de cima. Sabemos bem que o sinistrão sempre foi fã do DNA do Cyclops, e quando suas tropas conseguiram capturar Jean Grey, ele teve orgasmos ao ver o potencial genético da ruiva. Da mesma forma que ocorreu em nossa realidade, ele criou um mutante combinando os DNAs dos dois, que em nossa linha de tempo viria a ser infectado com um vírus metálico, sendo assim mandado pro futuro e depois voltando como o fuderoso Cable. Na era do Apocalipse, o resultado desse milk-shake genético viria a ser Nate, outro que acabaria vindo parar na realidade normal depois.


Bom, vamos parando por aqui com os personagens, pois sabemos que em X-Men o que não falta são personagens. Muitos outros estavam presentes, ganhando atenção mais modesta, sem falar que outros foram teoricamente esquecidos. Apenas para não deixar as coisas meio incompletas, alguns outros mutantes de maior pedigree que tinham até uma certa participação era o Anjo, que agora era dono de uma casa de espetáculos e puxava o saco dos bandidos, Alex Summers, o irmão de Cyclops e conhecido como Destrutor, que junto com seu mano era um dos bandidos (mas nesse caso bandidão mesmo), Mística, que agora assumia a maternidade de Noturno, e outros mais...

Alguns fãs mais mela-cuecas de plantão podem estar se perguntando onde estavam duas das mais über gatas do universo mutante. A já mencionada Psylocke, para tristeza de muitos, sequer deu as caras (pelo menos por enquanto). E a sedutora Emma Frost estava longe de seu visual mais agradável...


Sério, saímos de uma loiraça que se veste de forma sado-masoquista para uma qualquer uma com o corpo mais coberto do que uma árabe e uma puta cicatriz na cabeça, resultado de uma operação que removeu a parte de seu cérebro responsável pelos seus poderes de telepatia, dessa forma podendo se juntar à aliança humana... Verdadeiro turn-off...

Aliás, falando em aliança humana, de fato haviam alguns não-mutantes que lutavam contra Apocalipse e suas hordas do Mal. Interessante ver como muitos desses personagens nada mais eram do que versões mais normais de outros super-heróis do universo Marvel, onde as mudanças foram drásticas também. Por exemplo, nessa realidade o Homem-Aranha virou adubo antes mesmo de ser picado por uma aranha, Donald Blake nunca encontrou o martelo dos vikings e jamais se tornou Thor, sendo aqui apenas um velho barbudo de bengala. Metade do Quarteto Fantástico também ganhou ternos de madeira, restaram apenas Sue Storm e Ben Grimm, que jamais teriam viajado para o espaço e com isso não se tornariam a Mulher Invisível e o Coisa. Aliás, existe sim uma criatura chamada Coisa, que na verdade é o Bruce Banner, que vira um Hulk de pele cinzenta... Por fim, temos também Tony Stark, que embora não viria a ter a mega armadura do Homem de Ferro, mesmo nessa realidade teria seu coração biônico e seu estilo filho da puta de ser...

De fato foi uma trama bem legal, que deu uma oportunidade de reescrever parte da história e de colocar em prática idéias mais criativas. Mas como as coisas boas da vida, uma hora a Era do Apocalipse viria a terminar. Após uma luta meio boçal, onde Magneto parte Apocalipse ao meio como um biscoito cream-cracker, o velho Bishop volta ao passado e consegue impedir Legião de matar Xavier, e assim restaura a realidade como conhecemos. E ao mesmo tempo bombas nucleares são lançadas sobre a base de Apocalipse, dizimando tudo e acabando de vez com essa história...

Mas seguindo a teoria da tangente do Doutor Brown, isso não faz com que a Era do Apocalipse termine. Mesmo as bombas atômicas não destroem tudo, e alguns anos depois descobrimos que Magneto aparentemente conseguiu impedir que elas destruissem os EUA, com uma série que conta o depois de tudo.

Não cheguei a ver essa história em muitos detalhes, aparentemente Sinistro ainda está vivo e enfrenta os X-Men, que agora trazem novos aliados, como o Samurai de Prata e Kirika, filha do Arma X, com direito até a ter garras iguaizinhas ao pai.


Mas os bandidos também não estão para trás... Algo que achei legal, por exemplo, foi uma reviravolta com a jovem Paige Guthrie, a mutante Husk (ou Escalpo, em português). Na série original, ela fazia parte da nova geração de mutantes, comandada por Colossus, enquanto seus irmãos eram comparsas de Apocalipse. Acontece que o grandão russo havia deixado ela para supostamente ser morta, depois de ter completado sua missão... Mas nessa continuação, vemos que ela foi resgatada pelos seus irmãos, e acaba então se aliando aos bandidos... Isso que é problema de família, não é?


Outra que estava supostamente morta e agora estava sob controle de Sinistro era Jean Grey. Na verdade, ela era quem tinha salvado a América das bombas atômicas, morrendo no processo, dando espaço assim a Magneto assumir a responsabilidade. E o Sinistro, com todos os seus conhecimentos científicos, acabava revivendo a ruivinha (como se reviver uma pessoa fosse tão difícil no universo dos quadrinhos), mas logo depois de alguns quadrinhos Logan consegue convencê-la a deixar de ser influenciada pelo bandido, que é destruído.

E todos ficaram felizes, Arma X é reunido com Jean e os dois passam a liderar os X-Men, e Magneto acaba passando um tempo na cadeia para pagar por seus crimes. Com isso aparentemente a Era do Apocalipse viria a ficar mais calma então, não é? Que nada...

Nesse ano de 2012, a Marvel viria a trazer de volta esse universo apocalíptico. Vi pouco essa história, até porque ela está em andamento, mas ela começa com uma série da nova X-Force, uma equipe atual liderada por ninguém mais do que Wolverine, contando com a presença da bela Psylocke, do hilário Deadpool e do astuto Fantomex. Interessante ver como o time parece adotar uma cor de uniforme padrão, com tons de cinza e preto, sem falar que com essa turma já se pode esperar que a porrada come total.


Bom, em uma dessas histórias o Arcanjo, o antigo Anjo que havia sido transformado por Apocalipse há um bom tempo, começa a ficar doido, querendo destruir o mundo, pra variar. Algumas artimanhas depois, o time acaba indo para a Era do Apocalipse, na verdade alguns anos depois da última vez que se falou dela, encontrando os X-Men. Ou melhor, o que restou deles, incluindo um Magneto velhinho, barbudo e de cadeira de rodas...


Só um comentário: notou o rabinho de cavalo que Magneto fez na barba? Cara, depois de velho o mestre do magnetismo perdeu a noção.

E você pode estar se perguntando: onde estaria o Arma X dessa realidade? Certamente o encontro do Wolverine da realidade normal com ele seria algo épico, já imaginou os dois descendo a porrada nos bandidos? Acontece que supostamente ele havia morrido, junto com outros X-Men, em uma missão... Supostamente... Pois na verdade Arma X está vivinho, e agora é um puta mega vilão!


Absurdo, não? Jamais poderia imaginar essa, e ele já deixa como cartão de visitas a atrocidade de dilacerar Kirika, a sua própria filha, com o puta canhão à la Megaman que agora ele tem... Ora, melhor que dois Wolverines lutando lado a lado, é ver dois Wolverines caindo na porrada um contra o outro!


Resumindo a trama, ocorre toda uma luta para tentar salvar o Anjo, livrando-o do controle do Mal, onde a X-Force se une aos X-Men dessa realidade alternativa, com vários deles morrendo no processo.

Não posso deixar de colocar um quadrinho onde temos o sempre fantástico humor negro de Deadpool, um dos personagens mais hilários do universo Marvel, sempre com as suas tiradas macabras e zoando todos. Como quando na hora que o monstrengo Blob cai que nem uma bomba em cima de seu colega (também fuderoso) Fantomex, e o mercenário desbocado se desespera, imaginando que seu amigo virou um supositório humano.

 

Essa série viria a abrir uma nova "temporada" da Era do Apocalipse, embora deveria ser chamada agora Era do Wolverine, pois ele passa a atuar como o grande vilão da história. Essa série está em andamento nesse exato momento, e mal ela começou e os X-Men se reduziram à Jean Grey e Dentes-de-Sabre, ambos sem os seus poderes mutantes, aliados com alguns humanos, enfrentando as forças mutantes, que incluem vários dos X-Men mortos que são ressucitados... Mostrando mais uma vez, morrer no unverso Marvel é algo temporário...

Mas, e quanto ao fodão Magneto?


Sim, morto... Executado pelo Arma X, após atravessar sua garganta com suas garras e explodir seu crânio com o canhão Megaman. Sinistro, esse aí não deve voltar dos mortos... Mostrando que como vilão, o nosso amigo Logan não dá colher de chá. Não é como esses bandidinhos de merda, que ficam com discursos inflamados e compaixão, se é pra estourar os miolos de seu adversário, não precisa pensar duas vezes!

Realmente, essa realidade apocalíptica tem rendido boas histórias, muito mais violentas e empolgantes. Não sei o que esperar dessa nova trama da Era do Apocalipse, que embora tenha começado de forma interessante parece estar apelando muito fortemente ao reviver quase todos os personagens. É esperar para ver... E recomendo, se você quiser ler uma história bem legal e empolgante, vale a pena ler esses quadrinhos desse universo paralelo dos mutantes mais famosos que conhecemos.

Nenhum comentário: