segunda-feira, 10 de junho de 2013

Caxirola

Sim, eu sei que esse assunto pode estar um pouco atrasado. Mas estive meio enrolado por aqui, muitas coisas para serem feitas, juntamente com o trabalho que está comendo meu couro ultimamente. São aquelas horas em que o blog fica de lado, e me pergunto se vou continuar com isso aqui, só que eu sempre acabo desistindo desistir e invento mais uma postagem.

Sem falar que nos últimos dias a minha internet esteve de mal a pior. Impressionante como nessa pocilga de país nós pagamos uma fortuna para ter uma conexão de banda larga, mas que é de péssima qualidade se comparado lá fora. E nessa semana estava foda, toda hora caindo e com uma velocidade lenta pra burro. 

Skavurska!

Depois de todos esses percalços, consegui finalmente chegar aqui para escrever sobre mais um dos micos de nosso governo brasileiro. Lamentável só é ver que se trata de mais um mico que foi financiado com o nosso dinheiro, que poderia estar sendo usado para coisas realmente úteis, como educação e saúde. Não adianta, principalmente quando se trata desses petralhotários sem-vergonha, fazem sempre uma festa com o dinheiro de nossos impostos.

Trata-se da palhaçada da caxirola, aquela merda de instrumento que estavam propondo para a Copa.


Podemos dizer que a história dessa bosta começa na última Copa do Mundo, que ocorreu na África do Sul. Durante os jogos, principalmente da seleção local, um barulho chato para caralho disputava com os gritos da torcida e o apito do juiz. Esse barulho vinha daquelas vuvuzelas, mega cornetas que são uma tradição local, fazendo aquele barulho pesado que incomodava muito. Só não incomodava mais que o Galvão Bueno.

Gostasse ou não, as vuvuzelas ficaram conhecidas como o instrumento daquela Copa. Claro que nunca antes houve essa estupidez de instrumento musical da Copa, no máximo eles inventavam aqueles mascotes, cada um mais sem graça que o outro. E na prática, já existiam vuvuzelas antes mesmo da competição, podemos dizer que já era uma tradição daquele país.

E com a chegada da Copa no Brasil, não demorou para que alguém tivesse a brilhante idéia de propor um instrumento musical para fazer o som brasileiro, alguma coisa para ser a trilha sonora dos estádios pelo Brasil afora. Claro, sabendo que essa idéia veio do governo, não havia dúvidas de que um dos objetivos seria lucrar ao máximo. Qualquer coisa que se faça nesse país sempre tem alguma maracutaia, alguém levando uma grana...

Bom, tomada a decisão de que teria que ser criado um instrumento para a Copa, o governo (provavelmente com o apoio dos ministérios da cultura e esporte) me vem e chama o Carlinhos Brown para bolar o tal instrumento...


Na boa... Sei que gosto musical não se discute. Mas chamar um pleura desses, responsável por criar atrocidades como Tribalistas, era furada na certa.

Surgia então a caxirola, um chocalho de plástico que parece aquelas merdas que usam pra capoeira, que segundo o próprio cantor teve a ajuda de engenheiros acústicos para que ela produzisse um som agradável mas que respeitasse os limites impostos pela FIFA. Confesso que não tive a curiosidade para ver o som da caxirola. Curiosidade e estômago, pois deve ser uma merda.

Claro que o governo aplaudiu a idéia, a gerentona Dilma ficou super animada no lançamento do instrumento (você pode ver aqui), como você pode ver nessa declaração dela:


"E eu tenho certeza que principalmente as crianças desse país vão ter uma experiência muito fantástica com a caxirola... Eu acredito que a caxirola faz parte não só do futebol, mas da imensa capacidade do nosso país de fazer um instrumento muito mais bonito que a vuvuzela."

Agora percebi uma coisa... Essa caxirola me parece mais com uma granada...

Deve ser uma das razões pelas quais Dilma gostou da caxirola, pois provavelmente deve ter lembrado ela dos tempos de "Camarada Estela" quando praticava terrorismo na época da ditadura... E também tem a ver com a discussão do momento: realmente os "di menor", acostumados a carregar armas e fuzis, vão ter uma experiência muito legal ao ter um instrumento que lembra uma granada.

Na verdade, vi na Veja onde foi curiosa a comparação, pois considerando as argolas para os punhos, ela acaba parecendo também uma mistura de granada com soco-inglês... Faz sentido, considerando que seria o instrumento de um dos países onde a violência caminha a passos largos e impunes.


Como pode ser visto na reportagem, estavam prevendo começar a vender mais de 10 milhões de caxirolas, que iriam custar entre R$ 15 a R$ 30. Preço meio salgado para um chocalho... Mas sabemos bem que o povo precisa pagar os jantares caros e os carros importados dos ministros do esporte e cultura, alguém precisa pagar essa conta...

Aí é que veio o mais hilário: para apresentar a caxirola ao público, escolheram um jogo do campeonato baiano, na prática o clássico Bahia e Vitória, onde distribuíram para o público caxirolas de graça, para testar o instrumento. Bom, aí você pega vários torcedores do tricolor baiano e coloca na mão de cada um deles uma merda de plástico que parece a mistura de uma granada com soco inglês. Imagina só o resultado quando o Vitória fez dois a zero...

 Ironicamente, um "bom exemplo" para mostrar pro mundo.

Nego tacou as caxirolas no gramado, para certamente tentar acertar nas cabeças dos jogadores do Bahia (bem que podiam acertar nos cornos daquele filho da puta do Souza) ou para protestar contra a incompetência de seu time. Você pode ver aqui nessa reportagem do Globo Esporte, onde se fala desse mico homérico que o Brasil pagou para o mundo, que foi conhecido como Revolta das Caxirolas.

Era de se esperar, não é? Dar instrumentos como caxirolas é como distribuir para os torcedores pedras ou pilhas tamanho D usadas, é pedir para que elas virem armas. Ainda mais considerando um povinho boçal e mal-educado como o brasileiro.

E não deu outra: praticamente um mês depois desse episódio vexaminoso, a Justiça decidiu proibir a caxirola de entrar em qualquer estádio, seja na Copa das Confederações ou Copa do mundo (notícia aqui). Mal surgiu, e o instrumento oficial da Copa foi cortado.

Nessa brincadeira quem se fudeu legal (e muito bem feito) foi o Carlinhos Brown. Crente que ia encher os bolsos de dinheiro, agora vai ter que arrumar onde enfiar esse monte de caxirolas.


O pior de tudo é imaginar o quanto deve ter se gasto para projetar e produzir essa merda. Digo novamente, apesar do fracasso completo desse instrumento, alguém ganhou grana com certeza. Minha única satisfação é que esses filhos das putas vão lucrar menos do que esperavam, vão ter que arrumar outra forma de roubar o dinheiro do povo. Pena que eles sempre arrumam outra maneira...

Essa é a história curta dessa estupidez de caxirola, que se junta à palhaçada da Copa do Mundo brasileira, que tem sido motivo de vergonha e falta de noção. Temos o mascote mais escroto que já se viu, com um nome absurdo como Fuleco...


... e um logotipo feio para caralho, que até agora ninguém me conseguiu explicar direito o que se trata. Só entendi a putaria sem-vergonha e descarada de terem colocado ali um pouquinho de vermelho nas cores do logotipo...


Afinal de contas, na bandeira do Brasil não tem nada de vermelho. Mas sabemos muito bem a que partido político e ideologia essa cor remete.

Soma-se a isso a pindaíba dos estádios, tudo sendo feito nas pressas e de qualquer maneira. Como tudo nesse país, é uma vergonha mesmo. Nessas horas eu até tenho vontade que a Copa das Confederações seja um fracasso em termos de segurança, logística e organização, para que a FIFA desista de fazer a Copa do Mundo aqui. É o que esse paizinho de merda merece.

Nenhum comentário: