terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Huck, o Otário (2)

Na boa... Nosso grande palerma das tardes de sábado acabou de fazer o seu hat-trick aos quarenta e cinco do segundo tempo em 2014... Claro que estou falando do narebento sem-vergonha e asqueroso do Luciano Huck.


Impressionante como esse carinha consegue cada vez mais me surpreender no que diz respeito à estupidez, falta de bom senso e canalhice. Não bastou ter comparado a hilária derrota da seleção brasileira para a Alemanha na Copa com o atentado do 11 de setembro, demonstrando uma total falta de tato ao colocar uma mera derrota de uma seleção de futebol com um atentado que marcou a História recente; não foi suficiente ter tido a pachorra de perguntar para a Sandy quantas mamadas ela estava dando por dia, aquela que muitos, incluindo este texugo aqui, sempre viam como a doce e pura namoradinha que todo mundo gostaria de ter. Não bastava ter bostejado tanto nos últimos meses, ele conseguiu recentemente chegar a um nível tão baixo como uma Gilette deitada. 

A situação ocorreu em um programa neste mês de dezembro, pena que eu não vi ao vivo mas logo fiquei sabendo da notícia. Neste programa, ele veio a receber Laís Souza, que provavelmente você conhece: ela foi ginasta da seleção brasileira por quase dez anos, até que então decidiu mudar de ares e começou a praticar esqui, naquelas provas de saltos. E durante um treinamento no início desse ano, ela veio a sofrer um grave acidente, lesionando uma vértebra da coluna cervical, deixando-a tetraplégica, incapaz de fazer movimentos do pescoço para baixo.


Eu admito que quando soube da notícia, fiquei sim triste. Eu pessoalmente sempre apoiei muitos esportistas nacionais de esportes que não são o futebol, pois eles precisam lutar contra uma série de dificuldades para conseguir competir de igual para igual com atletas de outros países, que têm acesso a estruturas muito melhores e mais organizadas. Como acontece com a ginástica artística, onde Laís começou. Tudo bem que eu só vim a descobrir que ela estava agora esquiando após ver a notícia do acidente, mas sempre a via como uma das mais focadas e esforçadas da seleção que competia nas Olimpíadas, não tendo talvez a mesma badalação do que a Danielle Hypólito e seu irmão, do que a Dayane com sua sambadinha ou a Jade com seus choros, mas competindo sempre com seriedade.

Bom, falando na Jade Barbosa... Tenho também que aproveitar essa rara oportunidade em que falo de ginástica artística para destacar como que ela está se tornando cada vez mais uma über gata!


Momento porco chauvinista da postagem: como o Seinfeld já disse, imagina só as possibilidades com toda a flexibilidade de uma ginasta!

...

Tá bom, eu não presto. Mas aposto que muito gente já pensou ou pensa até pior. Sério, acho a Jade muito bonitinha sim, muito simpática, e confesso que aquela pose meio de chorona até que fica engraçadinha nela... Mas voltemos ao foco.

Enfim, Laís agora passa por uma árdua batalha para tentar recuperar alguns de seus movimentos. E é de certa forma inspirador e animador como que ela até parece estar mostrando alguns sutis sinais de melhora, com uma série de tratamentos de fisioterapia e até mesmo uma terapia inovadora com células-tronco. Espero realmente que ela consiga melhorar sim, percebo que ela é uma pessoa muito simpática, muito dedicada, e seria muito bom que ela fosse recompensada de alguma forma por todo o seu esforço para melhorar. 

São coisas que me fazem pensar... Tem tanta gente ruim nesse mundo, tanta gente que vive de causar mal aos outros, de levar vantagem e se aproveitar, que estão aí numa boa; e pessoas de bem como a Laís Souza acabam encontrando pedras pelo caminho como esse acidente. Mas assim é a vida...

E antes de voltar ao assunto mesmo da postagem, ainda vou fazer algo que normalmente não costumo fazer, que é divulgar uma página que foi criada para apoiá-la nessa empreitada, ajudando ela a ter um mínimo de estrutura para que possa viver uma vida normal dentro da atual conjuntura. Clique aqui para dar uma olhada.

Bom, mas voltando ao tema do post de hoje, Laís esteve no programa no Luciano Huck, onde ele certamente fez aqueles comentários melosos, aquelas baboseiras para que ele faça a audiência chorar e achar ele o máximo, o defensor dos frascos e comprimidos, um cara legal que estava ali apoiando uma atleta que teve esse triste acidente. E chega então um momento em que Laís fala que ela fez uma tatuagem na perna, com os anéis olímpicos e as sedes onde ela competiu.

E o que o panariço do Luciano Huck vai lá e fala?


"Doeu? Essa é a vantagem!"


Cara... Eu estou sem palavras... Se você não acredita que ele proferiu tamanha asneira, veja o vídeo e depois perca a fé na humanidade...


Meu amigo... Como que esse animal faz uma pergunta assim? Cara, tenha um pouco de tato, seu imbecil! Me chega e pergunta para uma moça TETRAPLÉGICA se ela SENTIU DOR ao fazer uma tatuagem?! Cara, não pode, não tem como ser tão burro assim... Não tem um pingo de respeito, de decência, pra não fazer zoação com um problema grave. Na boa, pode até ser meio desumano de minha parte, mas digo de novo, me revolta como um desumano como ele fica aí numa boa, podendo andar, e uma pessoa como a Laís fica presa numa cadeira de rodas...

Sério, eu fico me perguntando se ele é tão inconsequente e idiota a ponto de não pensar antes de abrir a boca e falar uma merda dessas. Parece uma criança que fala qualquer bobagem que passa na cabeça sem se dar conta das consequências. Ou então ele faz isso mesmo de zoação, talvez até mesmo pensando na repercussão que vem depois de um comentário como esses, onde todo mundo vai começar a chiar. Na linha do "falem mal, mas falem de mim", a qual eu possa estar até mesmo colaborando... Ele deve ser do tipo que perguntaria pro Stevie Wonder se ele já viu um arco-íris, só pode.

Enfim... O ano está acabando, mas ele ainda tem algumas horas para falar mais uma idiotice. Se não, nos vemos em 2015, para mais piadas, mais zoações e mais gafes do Luciano Huck.

Nenhum comentário: