quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Alguém me explica o indulto?

Estamos chegando no Natal... Época das crianças esperarem pelo bom velhinho e seu saco de presentes, de passar um tempão na cozinha preparando a ceia pra família, com aquelas situações já manjadas da tia perguntando se você arrumou namorada ou daquele tio babaca sempre com a piadinha do "é pavê ou pra comer". É tempo de comer aquelas sobremesas totalmente atípicas para nosso verão escaldante, resultando numa vergonhosa caganeira no dia seguinte, e também de rever na telinha aqueles filmes natalinos clássicos como Esqueceram de Mim, Férias Frustradas de Natal e Duro de Matar. Aquela época mágica onde você precisa esconder o seu desgosto por ganhar aquela camiseta cor de berinjela que vai dar aquele trabalho pra ir na loja pra trocar, de ter que arrumar uma desculpa para aquelas pessoas que te fizeram alguma coisa uma vez na vida e pedem caixinha de fim de ano, quando nos arrependemos de participar do amigo oculto da empresa onde você não ganhou o que pediu. Enfim, aquelas coisas que acontecem todos os anos, inclusive aquelas que dizemos que não vamos fazer no ano seguinte, e fazemos mesmo assim...

Mas essa também é a época de algo que deveriam acabar para sempre, uma das verdadeiras mazelas do Natal: o indulto dos presidiários.


Eu cheguei a fazer um post sobre esse assunto há muito tempo atrás. E quando digo muito tempo, é muito mesmo, da época em que eu havia acabado de estrear aqui o blog. Mostra como ao mesmo tempo as coisas não mudam nesse país e eu não tenho muita originalidade para novas idéias por aqui. Mas confesso que vim aqui hoje motivado pelo que vi numa reportagem no Jornal da Band outro dia.

Nessa matéria, que você pode ver aqui, estavam falando a respeito de um crime, onde uma senhora foi violentada na véspera do Dia das Mães por um cretino. Até hoje ela sofre com as sequelas, desde o fato de ter tido todos os seus dentes quebrados até as terríveis consequências psicológicas que uma mulher sofre ao passar por uma situação dessas. E ela contava que o seu agressor ia ser um dos praticamente 30 mil presos do estado de São Paulo que viriam a receber o indulto de Natal, ganhando o direito de sair da cadeia para passar o fim de ano com a família.

Eu imagino que a maioria dos leitores aqui é do Brasil e sabe o que é isso. Agora, se tem alguém de fora, vou explicar, para que você possa entender bem. É isso mesmo, a justiça aqui concede para os presos com bom comportamento que já cumpriram 1/6 da pena (caso sejam réus primários, se são reincidentes é 1/4) o direito de deixar a prisão para ficar em casa com suas famílias em diversas ocasiões festivas, como Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal. Ele fica um tempo em liberdade e depois precisa voltar pra cadeia.


Sim, é isso mesmo que você leu.

Ou seja, nessas épocas festivas vários criminosos são deliberadamente colocados nas ruas, juntamente com os cidadãos de bem. Sem nenhum tipo de distinção, o cara pode ter sido preso por estupro, por assassinato, seja o que for. É liberado e a polícia fica esperando que ele tenha a boa vontade de voltar pro xadrez. 

Claro que nem todos voltam... E claro que muitos deles, uma vez fora da cadeia, cometem outros crimes. Não precisa ser um gênio pra saber que isso acontece...


Eu gostaria seriamente que alguém viesse aqui pra me explicar por que existe uma idéia tão estúpida como essa! Na boa, eu não consigo entender! Como disse, não estamos falando apenas de um pequeno transgressor, de um mero ladrão de galinhas, tem nego aí que matou, estuprou, sequestrou, torturou, fez o diabo, e é colocado na rua junto com a gente! Cacete, eu não consigo conceber algo assim... Será que ninguém consegue perceber como essa idéia é estúpida?

Veja no próprio caso que citei, a mulher dizendo na entrevista que, após ter sido violentada, o marginal a ameaçou, dizendo que se ela denunciasse, ele a mataria quando saísse da cadeia. Diante de uma ameaça dessas, a nossa ilustre justiça brasileira acha que tá tudo bem colocar esse puto na rua?

Alguém aqui acha isso normal? Me explica! 

Sabe, o mais revoltante de tudo, que chega a ser até engraçado ver a cara-de-pau dessa nossa justiça, é ver como os indultos não apenas são dados a criminosos sem nenhum tipo de preocupação com a sua periculosidade, mas até mesmo para presos que a princípio não teriam nenhum tipo de razão para receber tal indulto. Você se lembra da Suzane von Richthofen, que matou os seus próprios pais com a ajuda do namorado e de um amigo? 


Pois é... Você acredita que essa sujeita, essa assassina, teve liberdade pra sair da prisão nos indultos de Dia das Mães e Dia dos Pais?

Sério... Pra quê, caralho? A mulher matou os pais e tem o direito de celebrar o Dia das Mães e dos Pais? Puta que paral! Parece piada, mas é verdade...  


Cada vez mais eu me decepciono com o Brasil... Esse país é realmente o cú do mundo, aqui acontecem coisas que são simplesmente inadmissíveis, coisas que uma pessoa normal jamais acharia correto. Quem em sua sanidade diria que é aceitável que criminosos tenham o direito à liberdade temporária em uma situação dessas? Repito, principalmente quando estamos falando de um bandido que cometeu um crime hediondo, que certamente voltará a cometer outro crime enquanto estiver solto, com a benção da justiça.

Acontece que vai aparecer gente sim defendendo...

Aqui nesse país temos uma grande inversão de valores. Me surpreende como que, quando um criminoso é agredido ou morto, logo aparece alguém defendendo, aparece Direitos Humanos, Viva Rio e o escambau pra condenar o que aconteceu, pra passar a mão na cabeça desse bandido ou de sua família, fica boa parte da sociedade sensibilizada com isso. Mas quando a vítima é uma pessoa de bem, não há essa comoção... São pessoas que valorizam muito os direitos de bandidos, muitas vezes os priorizando em detrimento dos direitos dos cidadão corretos, e que provavelmente devem considerar que o indulto é algo legal, que o preso tem direito a estar com sua família nessas festividades...


Interessante né? Quer dizer então que o cara pode matar uma pessoa, e depois de cumprir uma pequena parte de sua pena ele tem o direito de estar com a sua família no Natal... Mas, a família da vítima, essa não vai ter o mesmo direito, vai ter que lidar com a sua perda, sem nenhum tipo de amparo da justiça...

É foda...

Eu reconheço que sou um texugo que muitas vezes é extremo e radical. Afinal de contas, texugos são conhecidos por sua ferocidade. E diante de uma situação dessas, eu admito que me revolto muito com essa história de indulto. Tanto que, numa situação como essa, eu muitas vezes desejo muito que um criminoso desses venha a cometer um crime bárbaro que atinja diretamente alguém da justiça. Tipo, o sujeito ser colocado na rua, e catar a filha de um juiz, estuprando e matando ela. Infelizmente, sei que é algo muito vil de se pensar... Mas, eu sinceramente não consigo ver outra solução para esse grave problema, eu acho que somente assim, quando essas pessoas, que tomam a decisão inconsequente de soltar temporariamente um bandido perigoso, sofram com essa decisão tomada por colegas, talvez assim vão repensar esse "direito" que os presos possuem.

Sei que pode ser chocante o que eu disse. Longe de mim desejar o mal a alguém, ainda mais desejar que uma mulher seja estuprada e morta, é algo que não pode acontecer. Mas... Voltemos ao caso da reportagem que eu citei. Se o bandido vai lá e mata aquela mulher como ele prometeu, sabemos que não vai acontecer nada... O cara vai continuar solto, e se for preso daqui a alguns anos vai receber indulto de novo... Ela será apenas parte da estatística de pessoas que sofreram com crimes cometidos por bandidos libertados pela justiça devido a um indulto. Vão citar uma notinha no jornal, e no dia seguinte a sociedade já esqueceu...


Não dá... Sinceramente, eu cada vez mais penso que as pessoas são egoístas. De novo, eu não consigo entender como que um juiz, como que um chefe de um presídio, pessoas que têm família, como que eles conseguem ter a frieza de colocar na rua um criminoso como esse? Por isso que digo, por mais que possa parecer doentio: só vai resolver no dia que um bandido desses cometer um crime contra um juiz ou membro de sua família, por exemplo. Porque assim, não sei... Talvez caia a ficha pra eles de que essa idéia de indulto é um risco para a sociedade. O cara vai pensar assim "puxa, uma pessoa da minha família foi vítima de um bandido como o que eu soltei no último Natal...". Talvez essas autoridades, diante de um episódio desses que as atinjam diretamente, comecem a ter um pouco de consciência da consequência de seus atos para a sociedade...

Ou então, sejamos um pouco menos severos... Por exemplo, que tal todas as pessoas relacionadas com o indulto de um preso tenham que assinar algo como um termo de responsabilidade? Mas teria que ser algo rígido, algo bem pesado. Tipo, se o preso liberado cometer um crime, o juiz responsável por sua liberdade será condenado com a mesma pena do preso. Por exemplo, se o larápio vai lá e mata uma pessoa, e isso resulte em vinte anos na cadeia, então que todos os envolvidos no seu indulto sejam presos por vinte anos também. Afinal de contas, tais pessoas são cúmplices, tiveram sim participação no crime, pelo simples fato de liberar do cárcere o criminoso que o cometeu. Deveria até adicionar uma pena extra de formação de quadrilha.

Só que sabemos que algo assim não ia funcionar por aqui... Se já dão um jeitinho pra defender bandido, imagina então pra defender eles mesmos?

É um assunto revoltante mesmo... Continuo esperando alguém pra me explicar o que tem de bom e de correto no indulto a presidiários. Alguma nobre alma tente me esclarecer aqui sobre esse tema, justificando que haja algo de racional em liberar um bandido assim de forma tão simples, explicando que realmente faz sentido que um estuprador seja liberado pra passar o Natal na boa, livre, leve e solto pra fazer o que bem entender... Alguém tente me convencer de que o indulto é algo bom.

Fala sério... estou esperando uma explicação pra isso há anos, e até agora ninguém conseguiu. Enquanto isso, a bandida vai aí ser colocada na rua, e graças a isso muitas pessoas de bem desse nosso país de opereta não terão um Feliz Natal...

Nenhum comentário: