terça-feira, 11 de abril de 2017

O Assédio do Galã

Mais uma vez, vamos aqui para um assunto muito polêmico. Parece que eu gosto de viver na berlinda, como se estivesse testando a paciência dos outros para ver o momento em que alguém vai vir aqui pra me xingar. Juro que essa não é a intenção. Mas eu gosto sim de dissertar aqui sobre alguns assuntos que estão na boca do povo, procurando não me ater à opinião que a grande maioria da sociedade segue de maneira muitas vezes cega. Sempre tenho uma opinião bem particular, e gosto de avaliar bem todos os aspectos de um tema para que possa ter a minha posição consciente sobre o assunto.


A história da vez é sobre o episódio com o ator da Globo, José Mayer. Aquele que sempre fez o papel de galã e garanhão, que ficava dando em cima das mulheres, pegando todas. Aí parece que a vida imitou a arte, e ele acabou assediando Susllen Tonani, uma figurinista da emissora, partindo de comentários mais sexualizados até chegar ao ponto de tocá-la em suas partes íntimas. Com isso, ela denunciou o acontecimento para um jornal, e logo o ator foi chamado ao departamento de recursos humanos da Globo, que o suspendeu por tempo indeterminado de qualquer atividade para a rede do Plim-Plim.

Logicamente, a sociedade veio abaixo com o ocorrido. O Facebook e o Twitter se inundaram de comentários condenando o José Mayer, atrizes foram lá colocando fotos com uma blusa dizendo "mexeu com uma, mexeu com todas", textões intermináveis sobre machismo e cultura do estupro foram redigidos por todos os cantos. Ele até escreveu uma carta aberta ao público, admitindo o erro e pedindo desculpas, mas a sociedade parece que não vai perdoá-lo tão cedo.


Vamos então para a humilde opinião deste simplório texugo...

Antes de mais nada, deixo bem claro aqui que condeno a postura do ator. Ele errou feio, foi sem dúvida uma grande sacanagem e falta de respeito que ele teve com a figurinista. Assédio sexual é algo condenável, e deve ser sim combatido e punido. Digo que é mais um exemplo de como as pessoas acham que podem fazer qualquer coisa e sair impunes. Repito mais uma vez para que todos entendam, grifando bem para destacar: o José Mayer errou muito, ele faltou tremendamente com respeito e merece sim ser punido.

É importante deixar bem clara essa minha posição, pois eu sei que muitas pessoas hoje em dia adoram assumir algo dos outros de forma leviana e estúpida, pelo simples fato de não concordem plenamente com suas opiniões. É mais uma das mazelas da atualidade, em que a sociedade sempre é dividida em dois grupos, com os politicamente corretos de um lado e os errados do outro, sem entender que a opinião individual é algo mais complexo, que não pode se necessariamente classificada em apenas duas vertentes. Uma consequência de idiotas de hoje em dia que assumem uma postura radical bipolarizada, em que numa situação dessas iriam dizer "você concorda comigo ou é machista?".

Depois de reforçar a minha opinião... Bem, deixa eu falar mais uma vez para que ninguém venha aqui me encher o saco depois, vou até grifar mais ainda, com maiúsculas e cor diferente: O ATOR JOSÉ MAYER ERROU! ASSÉDIO SEXUAL É ERRADO E DEVE SER COMBATIDO!

Seguindo...

Eu fico aqui pensando, depois desse caso polêmico do ator da rede do Plim-Plim, acho que podemos pensar aqui sobre algumas coisas que agora se tornam muito comuns nos dias de hoje sobre toda essa questão do assédio. Começando pelo fato indiscutível de como a sociedade está ficando hiper-sensível.

Vamos por partes. Digo mais uma vez, o assédio sexual é algo errado. Mas, o que caracteriza o assédio sexual?


Eu entendo que o assédio sexual engloba várias coisas, indo desde a uma insinuação ou ação de cunho sexual imprópria e não permitida pela vítima (tipo, o que o José Mayer fez, de tocar as partes íntimas da moça) até agressões verbais ou físicas de mesma propriedade, como chantagear ou discriminar o outro com base no sexo da pessoa, ou usando-o nessa agressão. Acontece, por exemplo, quando o agressor tem uma posição hierárquica superior no meio onde a vítima vive (tipo, um chefe que assedia a secretária) e dessa forma acha que pode abusar sexualmente da pessoa. Por fim, uma forma de violência contra mulheres, e também contra homens.

Pronto, sei que aqui eu já "perdi" vários leitores que por ventura estejam aqui. Pois, para a sociedade politicamente correta, certos crimes são exclusivos de certos grupos sociais. Da mesma forma que o racismo é considerado apenas quando a vítima é negra, aposto que vai aparecer aqui alguma feminista dizendo que o assédio sexual só existe quando praticado por um homem contra uma mulher, e nunca o contrário...


Tipo, na cabecinha bitolada das feministas, aquele filme do Michael Douglas e da Demi Moore é uma falácia. Afinal, onde já se viu mulher assediar sexualmente um homem? Para elas isso não existe...

Pois muito bem, mesmo sendo uma estupidez, vamos por um momento seguir nessa linha de raciocínio parcial e vitimista que muitas feministas promovem, de que assédio sexual só existe do homem contra a mulher. Tudo bem, vamos imaginar que é assim pra simplificar. O que eu gostaria de debater agora é sobre o que caracteriza o assédio sexual em um caso desses. Que tipo de atitudes do homem indicam assédio?

Imagine algo como uma escala, onde classificamos diferentes atitudes que um homem pode ter com uma mulher. Queria saber onde fica a fronteira que separa uma ação ofensiva de outra inofensiva. Mulheres que estejam aqui lendo, peço que contribuam nos comentários, dando as suas opiniões. A partir de que ponto o sujeito estaria passando dos limites?


Mesmo antes das respostas, que provavelmente não devem vir em grande quantidade (afinal, esse é o blog menos visitado da grande rede), sabe o que eu percebo? É que atualmente parece que não há uma fronteira... Como se qualquer coisinha que o homem faça em relação à mulher pode ser vista como assédio sexual. Mesmo um mero comentário, como dizer que a mulher está bem vestida, por exemplo, pode ser interpretado como um assédio criminoso, talvez até tão grave quanto um estupro. E olha que eu não estou exagerando.

Conto rapidamente aqui um caso que aconteceu com um conhecido, colega de trabalho de um amigo meu, que em um churrasco estava contando o que havia acontecido com ele na empresa em que trabalha. Em uma ida para o bebedouro, ele havia cruzado caminho com uma das secretárias, que segundo ele parecia ter mudado o cabelo, coisas assim. Enfim, ele a cumprimentou dizendo que ela estava muito bonita.

Apenas isso. Disse "você está muito bonita, fulana".

Foi o suficiente para a mulher brigar com ele, fazer um escândalo que chamou a atenção de todos ali no recinto. Segundo esse sujeito, ela o xingou aos montes, dizendo que ela não havia dado esse direito. Chegou ao ponto que ela o denunciou ao RH, acusando de assédio. Não aconteceu nada, imagino eu que o pessoal dos Recursos Humanos viu que ela estava exagerando. Mas esse sujeito já ficou com uma má fama dentro do escritório, principalmente entre as funcionárias do sexo feminino, que provavelmente ficam ali fazendo a caveira dele. Só faltou elas se juntarem pra encherem o cara de porrada...


Infelizmente, eu penso que esse não é um caso isolado. O que penso é que hoje, no mundo politicamente correto, os grupos sociais que são tidos como as vítimas têm o suposto direito de serem juízes também de qualquer ato que seja praticado contra eles, e assim qualquer coisa que eles não gostem, que os façam se sentirem ofendidos, é motivo para berrar em desespero, clamando pela bandeira do preconceito. Ou seja, a mulher é quem decide se um determinado ato praticado por um homem é assédio ou não. Se ela se sentir ofendida com um mero elogio como "você está muito bonita", ela tem esse direito. E o cara é assim acusado de assédio.

Aí já dá pra imaginar o que acontece, quando a sociedade é ultra-hiper-mega-sensível...


Dizer que é bonita, é assédio. Dizer que está com uma roupa elegante, é assédio. Segurar a porta, é assédio. Tudo é assédio, pombas! Tem mulheres que chegam ao ponto de condenar os homens por estarem ali supostamente as despindo com os olhos. Ou seja, o cara pode não fazer nada, só de pensar já é assédio.

Sinceramente, eu comento aqui o seguinte: eu sei que tem muitos homens que são muito pervertidos. Caras que ao andar na rua viram o pescoço para ver a bunda da mulher, enquanto pensamentos bem chulos sobre o que poderia ser feito com aquela bunda passam pela suas cabeças. Mas, vamos com calma, né? Virou Minority Report essa merda? Me desculpe, mas isso já chega ao ridículo. A não ser que seja a Jean Grey dos X-Men, me explica então como é que as mulheres conseguem ler as mentes dos homens para saber que eles estão pensando em sacanagem, a ponto de acusá-los de assédio sexual por pensamento, cacete?


Se fosse assim, então só de eu pensar que quero dar uma porrada em alguém, quer dizer que eu estou o agredindo? Fala sério... Isso é muito grave.

Voltando ao caso do José Mayer, existem outras questões que me fazem pensar aqui. Muito se falou que essa não foi a primeira vez que ele foi abusado com uma mulher. Apareceram várias atrizes comentando sobre a suas investidas e comentários impróprios, ele mesmo em sua carta aberta ao público disse já ter feito algo parecido outras vezes. Antes que me interpretem mal, não estou dizendo que ele deva ser perdoado por já ter feito isso antes. Estou apenas comentando que é evidente que a figurinista não foi a primeira e única vítima dele, que esse é um comportamento reincidente. Considera que o sujeito tem aí quase quarenta anos trabalhando na Globo, e supondo de forma conservadora que durante metade desse tempo ele ficou ali cheio de gracinhas e investidas de cunho sexual com suas colegas de trabalho, é de se esperar que sejam muitas dezenas de outras mulheres que foram assediadas por ele.

Agora, fico pensando o seguinte... Tudo bem que durante muito tempo mulheres vítimas desse tipo de abuso geralmente se calavam. Isso por conta da sociedade ser muito mais machista, devido a uma visão geral de que isso era normal, estava tudo bem. Mas, isso vem mudando a passos largos. Não é de hoje que a sociedade em geral está mais atenta a esse tipo de assédio, cada vez mais com mulheres que perderam o medo e a vergonha para denunciar seus agressores. Muitas dessas atrizes mesmo, como Camila Pitanga, Letícia Sabatella, Cissa Guimarães e Thais Araújo, que estamparam fotos aí com a blusa do "mexeu com uma, mexeu com todas", já vieram se posicionando de forma bem veemente contra o assédio sexual há algum tempo, condenando qualquer ação de um homem que seja considerada abusiva.


Tomo como exemplo a Camila Pitanga... Ela foi uma que incentivou a figurinista a denunciar o José Mayer, comentando que na época em que ela fez par romântico com o ator em uma novela, sofreu assédio dele. Ou seja, ela já sabia que ele era assim.

Com base nisso, me pergunto: se o José Mayer já vinha sendo abusado com as mulheres há muito tempo, e já fazem alguns anos que a sociedade está mais solidária a mulheres que sofrem assédio, me explica por que só agora é que alguém decidiu abrir a boca e expor o ator global como o canalha que ele é?

E não venham me dizer que "ah, mas antes as mulheres não tinham liberdade de falar sobre isso..." É justo, não discuto isso. Mas, já tem alguns anos aí em que se fala abertamente sobre tal assunto, já faz tempo que existem campanhas aí incentivando as mulheres a denunciar tais agressões. Me surpreende, pois as mulheres costumam dizer que esse tipo de agressão marca para toda a vida... Por que então não denunciaram isso antes? Por que não foram lá reclamar na emissora que o José Mayer é um canalha? Parece que se esqueceram do que ele possa ter feito, e só se lembraram agora na hora de botar blusinha combinando e pedir justiça pela figurinista. Se essas oportunistas tivessem falado antes que o José Mayer é um calhorda, quem sabe a própria Susllen não teria sido poupada desse tipo de assédio?

Pergunto também se vão parar por aí. Se essas atrizes globais são tão contrárias ao assédio dentro da Globo, gostaria de ver se elas vão denunciar outros colegas que tenham feito algo igual ou até pior que o José Mayer. Afinal, se feministas assim enchem o peito pra dizer que "todo homem é um estuprador em potencial" ou que "todo homem é machista", é bem provável que existam outros atores ali dentro que não prestam e que mereçam ser afastados da mesma forma...

Mas sabemos que isso não vai acontecer...

Me faz até suspeitar se não existe algo mais por trás de tudo isso. Sou sim um texugo desconfiado, sei que tem muita gente aí que se acha esperta. Por exemplo, a figurinista disse que José Mayer a tocou em fevereiro... Passou fevereiro e março, só agora quase em abril é que ela decidiu falar? Curiosamente, tal relato foi publicado no dia do capítulo final da novela em que ele participava. Posso estar aqui exagerando, tipo querendo pensar em uma teoria de conspiração... Mas sem dúvida é curioso como a tal de Susllen comentou somente agora sobre o caso...

Não estou dizendo que ela fez isso para se promover, como algumas pessoas estão dizendo. Embora, seja indiscutível que ela ganhou atenção da mídia graças a esse fato, pode apostar que a "Su" agora vai aparecer no Ana Maria Braga, no Faustão, na Fátima Bernardes, na Caras e por aí vai. Gostem ou não, ninguém fazia idéia sobre quem ela era, até a divulgação desse caso.

Inclusive reflito sobre isso, imaginando a postura hipócrita da Rede Globo. Sim, hipócrita. Mais uma vez, digo que não estou defendendo o José Mayer, ele errou. Acontece que eu acho muito curioso, até mesmo irônico, ver a emissora divulgar uma nota condenando o ocorrido, coloco abaixo na íntegra e realço alguns trechos:
"Em relação à denúncia de assédio envolvendo o ator José Mayer e a figurinista Susllen Tonani, a Globo reafirma o teor da nota divulgada na última sexta-feira, quando afirmou que o caso foi apurado e que as devidas providências estavam sendo tomadas. Naquela nota, a emissora enfatizou que repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito. E que zela para que as relações entre funcionários e colaboradores se deem em um ambiente de harmonia de acordo com o Código de Ética e Conduta do Grupo Globo. Esta convicção da Globo foi reafirmada para um grupo de atrizes, diretoras e produtoras, reunidas no domingo à noite, quando a emissora informou que, apurado o caso, tomou a decisão de suspender o ator José Mayer de produções futuras dos estúdios Globo por tempo indeterminado. O ator foi notificado na segunda-feira dessa decisão. Sobre a iniciativa de funcionários, colaboradores e executivos de usar hoje camisetas com os dizeres 'Mexeu com uma, mexeu com todas', a Globo se solidariza com a manifestação, que expressa os valores da empresa. O ator José Mayer, de enorme talento e com grandes serviços prestados à Globo e às artes brasileiras, certamente terá oportunidade de expressar seus sentimentos em relação ao triste episódio e esclarecer que atitudes pretende tomar. A Globo lamenta que Susllen Tonani tenha vivido essa situação inaceitável num ambiente que a emissora se esforça cotidianamente para que seja de absoluto respeito e profissionalismo. E, por essa razão, pede a ela sinceras desculpas"

Na boa, meu amigo... Repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito? Valores da empresa?

A mesma emissora que é responsável por produções como BBB, onde é padrão que as mulheres "paguem peitinho" na hora do banho e fiquem se esfregando debaixo do edredom com o marombado da casa; que ao longo dos anos em seus programas humorísticos, como Zorra Total e Escolinha do Professor Raimundo, sempre teve personagens femininas que faziam cenas de respeito zero pelas mulheres; que em praticamente todas as suas novelas traz histórias de mulheres que se sujeitam ao adultério, ao assédio, que são tratadas como objetos, muitas vezes representadas por essas atrizes que hoje botaram a blusa do "mexeu comigo"; que em praticamente todas as suas mini-séries coloca alguma cena de sexo explícito, com a atriz botando as bazingas de fora, em uma descarada jogada para atrair a audiência. Essa é a mesma emissora da declaração acima?


Na minha opinião, a Globo vir com esse papinho de que valoriza e respeita as mulheres depois de ter colocado no ar algo como aquela série do Presença de Anitta, pra mim é uma verdadeira hipocrisia... E mais hipócritas são essas atrizes e funcionárias aí, condenando o José Mayer mas ficando caladas diante da postura igualmente desrespeitosa da própria emissora.

Me faz inclusive comentar sobre uma outra questão crítica quanto o assunto é o assédio sexual sofrido pelas mulheres. Lembrando que, por enquanto, eu ainda estou aqui seguindo a linha de raciocínio parcial da sociedade, que determina que assédio sexual só existe do homem contra a mulher. A questão que eu trago aqui é que, gostem ou não, tem muitas pessoas por aí que são de má índole. Homens e mulheres. Pessoas que são mentirosas, interesseiras e crápulas, que fazem tudo pensando em seu benefício próprio, que não se importam em destruir a vida dos outros se é para ganhar alguma coisa.

Antes que venham a interpretar de forma errada o que eu estou escrevendo aqui, não estou dizendo que a figurinista é mal-caráter, e que tenha feito tal declaração de forma falsa para ganhar notoriedade. Até porque o próprio José Mayer confessou o que fez. Se tem alguém errado nessa história, é ele. Embora eu tampouco coloque a minha mão no fogo por ela, como disse acima sou um texugo muito desconfiado, e é de minha natureza sempre ficar com um pé atrás com todos.

Mas, convenhamos que em um universo com muita gente filha da puta (principalmente no Brasil), seria muito inocente de nossa parte assumir que todas as acusações de assédio sofridas por mulheres sejam de fato verdadeiras.


Pronto, feministas... Está aqui a deixa para vocês me xingarem. Nem vou perder tempo me justificando, pois sei que para essas alucinadas xiitas dizer qualquer coisa que possa ser interpretado como contrário às mulheres é justificativa para que elas desejem que meus bagos explodam.

Meu ponto aqui é o seguinte: imagina uma mulher que seja mal-caráter e interesseira. Uma mulher como essa poderia em uma determinada situação fingir que sofreu assédio de um homem. Esse homem podendo ser algum conhecido que ela deseja prejudicar (como um ex-namorado, por exemplo) ou mesmo um mero desconhecido, que já seria suficiente para ela se colocar na posição de vítima. Essa mulher poderia induzir o sujeito a cometer o assédio, o que acabaria funcionando pois tem sim muito homem mulherengo e malandro. Ou mesmo que ele não caísse na armadilha, bastaria para ela criar uma situação onde poderia dizer que aconteceu algo impróprio. Seria o suficiente, pois seria a palavra da mulher "indefesa e vítima de assédio" contra a do homem, que é sempre um "estuprador em potencial". Na nossa sociedade politicamente correta, sabemos bem qual será o lado da história que vai prevalecer...


Claro que se uma mulher fizesse isso, se insinuasse de forma provocativa para cima de um homem com essas intenções, já seria suficiente para acusá-la de assédio sexual. Mas, como disse acima, no mundinho Nutella dos politicamente corretos, a mulher jamais pratica assédio sexual... E mesmo que seja a mulher quem assedie o homem, a sociedade vai culpá-lo.

Exagero? Acho que não... Pois, afinal de contas, a sociedade atual sempre vai ficar do lado da mulher que foi vítima de assédio sexual, mesmo em situações onde o fato não tenha sido ainda completamente comprovado, mesmo em situações onde nada tenha acontecido. É o vitimismo de certos grupos sociais, os menos favorecidos de sempre, de forma que o politicamente correto os enxergue sempre como vítimas, que sempre considere que eles nunca mentem e sempre dizem a verdade. Parte-se do pressuposto que as mulheres estão sempre certas, sempre estão relatando a verdade e de que elas jamais fazem algo de errado. Assim é muito fácil. Inclusive, já ocorreram vários casos assim, onde homens foram acusados e mesmo presos de forma injusta, por conta de mentiras contadas por mulheres.

Uma verdadeira cretinice. Afinal, mentir é uma coisa que todos fazem. Independente de raça, sexo, religião e idade.


E nesse ponto eu trago outra questão aqui, que é a famosa indignação seletiva. Aquela característica marcante do pensamento parcial e politicamente correto promovido pelos defensores dos fracos e oprimidos, como mulheres, negros e homossexuais. Aquela costumeira postura de se revoltar apenas quando os agressores e/ou vítimas fazem parte de um determinado grupo, que apenas fortalece que esses ideais da sociedade atual são sem fundamento e direcionados a defender apenas aqueles que são seus amiguinhos...

Para ilustrar esse fato, existe um caso bem emblemático no que diz respeito à agressão contra mulheres. Tudo bem, o José Mayer é um canalha, assédio é algo repudiável, vieram aí centenas, milhares de mulheres, desde meras desconhecidas até atrizes globais, posando aí nas redes sociais com a mensagem "mexeu com uma, mexeu com todas", erguendo a bandeira do feminismo, condenando a postura preconceituosa e machista da sociedade, gritando "chega de fiu-fiu", pedindo justiça, e por aí vai...

Mas que até agora não deram um pio quando o professor de filosofia Paulo Ghiraldelli da UFRRJ desejou que a jornalista do SBT Rachel Sheherazade fosse estuprada. Isso lá no finalzinho de 2013, já se vão mais de quatro anos...


Alguém consegue me explicar o porquê? A Camila Pitanga ou a Cissa Guimarães podem vir aqui pra comentar a respeito? Algum politicamente correto de plantão pode elucidar esse mistério? Na época nenhuma feminista postou textão no "Feice", nenhuma atriz da Globo botou blusa com mensagem pró-mulheres, nenhuma funcionária da universidade fez protesto... Por quê? O que ele disse não é assédio? Não é agressão? Ou essas mesmas mulheres que hoje pedem a cabeça do José Mayer, que dizem serem defensoras dos direitos das suas semelhantes, talvez achem que a jornalista do SBT mereça mesmo ser estuprada?

Estou confuso... alguém me explica a diferença entre o assédio praticado pelo José Mayer e o do professor?


É por isso que eu sinceramente não aceito muito esse papo frouxo do "mexeu com uma, mexeu com todas". Pois fica bem claro que para essas "feministas", não tem nenhum problema em mexer com a Rachel Sheherazade. Parece que para aquelas atrizes imbecis da Globo o José Mayer é um canalha enquanto que o professor Paulo Ghiraldelli não fez nada demais.

Vou mais longe ainda, para mostrar mais um exemplo da hipocrisia dessas feministas idiotas. Você se lembra daquela situação com o ator Zé de Abreu, também da Globo, que em uma discussão com um casal em um restaurante, partiu para a agressão e chegou ao ponto de dar uma cusparada na mulher?


Também estou aqui esperando de braços cruzados pela Taís Araújo, pela Camila Pitanga, pela Luana Piovanni, pela Cissa Guimarães e todas essas outras feministas oportunistas se pronunciarem sobre o ocorrido. Será que elas acham normal, acham que é aceitável uma agressão desse tipo contra uma mulher? A própria Globo, mais hipócrita ainda, em vez de fazer declaração repudiando qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito, passou a mão na cabeça dele, deu até espaço para ele se explicar para a população no programam do Faustão.

Cadê a revolta das pessoas, em particular das fministas? Se fosse o José Mayer cuspindo na cara delas, iam reclamar; mas o Zé de Abreu pode, parece que ele tem esse direito... Me expliquem, por favor.

E eu não vou nem entrar no mérito de falar sobre ele, outro "exemplo" de respeito pelas mulheres...


É essa a realidade de nossa sociedade Nutella. A verdade é que o termo "politicamente correto" acaba se mostrando como o mais indicado mesmo para representar como funciona a cabeça desses justiceiros defensores dos fracos e oprimidos. Para esses estúpidos, existem as vítimas com pedigree, aquelas que merecem sim a solidariedade da sociedade, por fazerem parte dos grupos menos favorecidos. Mas, se essas vítimas não compartilham da mesma opinião política, se não estão alinhadas com a ideologia desses grupos defensores dos bons costumes... Aí ninguém tem pena, ninguém fica comovido ou revoltado. Da mesma forma, se o agressor faz parte da turminha politicamente correta, se compartilha os mesmos ideais e mesma orientação política, isso lhe confere uma salva-guarda para fazer o que quiser, principalmente se tais agressões são direcionadas aos seus adversário políticos. Nessas situações, os mesmos politicamente corretos, que dizem defender as minorias menos favorecidas, ficam calados.

Por conta disso, eu estou sugerindo aqui um novo modelo para a camisa das globais.


Tem mais a ver com a verdadeira opinião dessas oportunistas, que só se sensibilizam com as mulheres que seguem a ideologia de esquerda politicamente correta...

Querem defender as mulheres e combater o assédio, vamos em frente, acho muito bom. Mas, vamos fazer isso direito. Enquanto vocês, feministas politicamente corretas, continuarem sendo seletivas na hora de se ofenderem com o assédio, fechando os olhos quando este é praticado contra alguém que defende outro ponto de vista que vocês tenham ou que seja realizado por um amiguinho de mesma orientação política, vocês não merecem o mínimo de consideração e respeito. Não adianta nada condenar o José Mayer se outros que fazem coisas piores são esquecidos e ignorados.

Nenhum comentário: